Porquê Direito

O Direito é a escolha natural para quem pretenda dedicar-se a alguma das profissões jurídicas, como a advocacia, a magistratura judicial ou do Ministério Público, a solicitadoria, os registos e notariado ou a consultadoria a empresas.

Uma rápida observação da realidade mostra, porém, que se encontram juristas ou profissionais com formação jurídica em múltiplas áreas de atividade.

Encontram-se juristas na investigação criminal, nas várias polícias ou organismos afins (GNR, PSP, Polícia Judiciária, Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, ASAE, etc.), nas entidades reguladoras, da comunicação (ERC), da saúde (ERS), das telecomunicações (ANACOM), da energia (ERSE), da água e resíduos (ERSAR), da concorrência (AdC); encontram-se juristas em toda a administração pública, nos ministérios e serviços deles dependentes, nas autarquias locais e institutos públicos (universidades, hospitais, fundações públicas, empresas públicas), nas entidades com poderes de supervisão (Banco de Portugal, Instituto de Seguros de Portugal, Comissão de Mercado de Valores Mobiliários).

Uma parte importante dos que asseguram a representação diplomática de Portugal têm formação jurídica, acompanhando muitos outros que servem em organizações internacionais, como a ONU, o Tribunal Penal Internacional, a OCDE, a União Europeia (e os seus órgãos principais, Comissão, Conselho, Parlamento Europeu e Tribunal de Justiça), instituições onde é comum encontrar muitos juristas portugueses.

No setor privado vêem-se juristas a liderar ou a gerir empresas, associações, fundações, cooperativas, juristas que enveredaram pelo jornalismo, ou, ainda, que se dedicam à atividade política — uma parte muito importante daqueles que ajudaram a construir a história contemporânea do País (deputados, ministros e secretários de Estado, presidentes de governos regionais, presidentes de câmaras) foram e são juristas.

A verdade é que o Direito dá uma formação que habilita ao exercício de muitas profissões, que não apenas as profissões jurídicas tradicionais.
Esta é uma das razões porque se justifica optar por Direito na hora de decidir estudar na Universidade.